Written by: Tecnologia

Tecnologia wearable: tendência para os próximos anos?

Dispositivos wearables são um novo avanço da tecnologia e prometem crescer também na área de marketing digital

A tecnologia vem evoluindo ao longo dos anos rapidamente. A maneira como uma marca comercializa online, por exemplo, já foi revolucionada com a chegada das redes sociais e, mais tarde, dos smartphones. Hoje, é essencial que uma empresa tenha sua estratégia de marketing pensada de maneira que atinja seu público-alvo na internet, e existem algumas novas tecnologias que vêm sido discutidas como as próximas tendências no marketing, como a internet das coisas e as tecnologias wearables.

De maneira simplificada, wearable é a palavra que define o conceito de “tecnologias vestíveis”, ou seja, dispositivos tecnológicos que podem ser usados pelos usuários como uma peça de vestuário, como relógios, bolsas e canetas inteligentes. Mais do que isso, a tecnologia pode ser conectada a outros aparelhos ou à internet e atualmente já tem grandes avanços nas áreas de saúde e comunicação. Essa tecnologia continua crescendo e promete chegar a todos os tipos de indústria, tornando-se grandes alvos de anunciantes.

A ideia dos wearables é que sejam ligados a sensores inteligentes que fazem uso de uma conexão na web, geralmente usando o Bluetooth para se conectar sem fio à um smartphone, por exemplo. Hoje em dia existem algumas categorias de wearables, como swatchers (relógios de pulso que disponibilizam informações como mensagens, redes sociais, e-mails, etc); fitness trackers (pulseiras que podem, por exemplo, monitorar frequência cardíaca e fazer contagem de calorias) e óculos de realidade virtual.

Alguns avanços já estão sendo vistos no mercado por empresas que investem na tecnologia. O Apple Watch, por exemplo, é um dispositivo wearable que disponibiliza mais de 200.000 aplicativos para download na App Store, com recursos como GPS, fitness tracker, calculadora e aplicativos específicos como bloco de anotações, gravações de áudio, jogos, mapas, entre outros. Recentemente, com o lançamento do Apple Watch Series 3, pudemos ver mais um passo no avanço da tecnologia: tornou-se possível utilizar apenas o relógio sem precisar conectá-lo com o celular. O usuário pode realizar ações como transmitir músicas, enviar mensagem e atender ligações sem o dispositivo móvel ao lado.

Outra empresa que aposta no mercado wearable é o Google. O Google Glass, desenvolvido há alguns anos, é projetado na forma de um par de óculos e tem o formato mãos livres, permitindo que usuários se comuniquem na internet através de comandos de voz de linguagem natural. E hoje, a mais nova criação da empresa em parceria com a loja Levi’s é a Commuter Trucker Jacket, o primeiro casaco jeans com tecnologia embutida invisível. A jaqueta possui tecnologias instaladas com um fio condutor, e permite que o usuário realize ações como controlar o volume da música, ler mensagens de texto e até mesmo atender chamadas telefônicas. O produto já está à venda no mercado e, apesar de ainda ter poucas funções, já mostra um novo visual interessante para wearables.

Commuter Trucker Jacket

 

Wearable no futuro e no marketing digital

De acordo com a Penna Powers, a tecnologia wearable irá superar o smartphone em sua penetração até o final de 2019, e estatísticas da Juniper Research estimam que os gastos com marketing wearable superarão a marca de US$ 68,7 milhões no mesmo ano. Isso é um salto em comparação com os US$ 1,5 milhão gastos com essa publicidade em 2015, mostrando aos profissionais de marketing uma grande oportunidade de investimento.

 

Previsão de penetração wearable x smartphones. Fonte: Penna Powers

 

A grande sacada dessa tecnologia é conseguir integrar o entorno do usuário, criando uma experiência nova para ele. Para um anunciante, é interessante poder veicular um anúncio em um aparelho menos pessoal do que o iPhone, que pode ser ignorado facilmente. Uma grande vantagem será personalizar conteúdos com base em pesquisas e informações geográficas de curto alcance. Algumas plataformas já trabalham para que a tecnologia seja conectada à atividades do mundo real, como por exemplo visualizações de vídeos.

Empresas voltadas para o cliente devem prestar maior atenção nas oportunidades com tecnologia wearable. Apesar de nova, é possível criar experiências memoráveis em suas lojas ou produtos, integrando o mundo real com o mundo virtual. A tecnologia vem ganhando cada vez mais espaço dentro das marcas, como por exemplo a Ralph Lauren, que em parceria com a empresa OMsignal lançou uma camiseta capaz de ler a biometria em tempo real.

De acordo com a Nielsen, uma pesquisa realizada na Nova Zelândia revelou que um total de 393.000 pessoas com mais de 15 anos no país possuem pelo menos um dispositivo wearable, um número que quase duplicou (+93%) em apenas 12 meses. Para a empresa, “os donos de dispositivos wearable são um grupo de consumidores lucrativo. As marcas podem conectar-se diretamente com eles ‘on-the-go’, alcançando-os independentemente de onde estejam, com ou sem seu celular, tablet, etc. Os dispositivos wearable representam uma nova forma para as marcas influenciarem seus consumidores”.

Atualmente, consumidores estão cada vez mais empoderados e escolhendo o conteúdo que desejam ver, podendo ignorar os anúncios. No entanto, existe a oportunidade de utilizar novos métodos de marketing digital que envolvam os usuários a partir dos seus gostos e interesses pessoais. Comerciantes poderão utilizar estratégias para alcançar seu público-alvo e oferecer ofertas relevantes, onde quer que elas estejam. Dessa maneira, é possível que a tecnologia wearable ajude a revolucionar ainda mais o marketing, aumentando o número de canais de comunicação.

(Visited 78 times, 1 visits today)