Tecnologia

RD Summit 2017 – Alexia Ohannessian, da Trello

Dicas para construir uma estratégia de marketing global de sucesso

O tema “Domine o mundo: dicas para construir uma estratégia de marketing global de sucesso” foi pauta da palestra de Alexia Ohannessian, diretora de marketing internacional da Trello, que lançou o produto em 21 idiomas por meio de um esforço inovador de colaboração coletiva.

Qualquer empresa deve se adaptar ao seu consumidor. Mesmo com um modelo de negócios específico, as empresas devem se adequar à cultura, aos hábitos e as necessidades dos consumidores em cada um dos países aonde ela está presente. O Mc Donalds, por exemplo, oferece diferentes produtos em diferentes países, chegando até a não oferecer carne em alguns deles.

 

 

Muitas empresas, no entanto, ainda não se adaptaram completamente a isso. Se olharmos para idiomas, por exemplo, a grande maioria das empresas não possuem seu site em mais de três ou quatro línguas, apesar de existirem praticamente no mundo inteiro. São poucos ou praticamente nenhum site que chega à conteúdos disponíveis em até oito línguas. A especialista exemplificou com a própria Tello, que está disponível em 21 línguas e muitas foram feitas através da colaboração dos próprios usuários da plataforma que desejam que o produto estivesse disponível em sua língua materna.

 

Alexia compartilhou alguns aprendizados ao internacionalizarem a empresa nesses últimos anos:

  1. Adapte o produto: Ajuste sua oferta, produto ou serviços às necessidades locais, culturais e hábitos de cada público. Não trate todos da mesma maneira. Sua marca deve ser pensada na internacionalização e como ela soa em diferentes idiomas logo em sua criação, e se for criar ou traduzir conteúdos para outras línguas, não faça apenas em uma parte. Traduza absolutamente tudo, pois isso tem um impacto direto na experiência do consumidor com o seu produto e sua marca.
  2. Entenda seus usuários: Hábitos e costumes são completamente diferentes de um país para o outro. É importante que sua empresa saiba e entenda quais são os critérios relevantes para cada público. Em alguns países, por exemplo, as reuniões são curtas e rápidas, enquanto em outras, reuniões com menos de uma hora de duração podem soar como uma falta de respeito. Entenda também como seus consumidores gostam de dar feedback. Alguns preferem pesquisas, outros preferem e-mails e outros dizem ao vivo que não gostam de utilizar seu produto, prezando pela sinceridade.
  3. Não julgue a situação sob sua ótica: é necessário se colocar no papel da sociedade e olhar através de sua perspectiva. Alguns prezam pela informalidade (os brasileiros, por exemplo), enquanto outros podem se sentir ofendidos quando algo não é formal (como os japoneses e franceses). Pense também em conteúdos específicos para cada um deles, pois, muitas vezes, algo pode não funcionar da mesma maneira para todos.
  4. Nem tudo são dados: as vezes, um país pode ter um enorme número de consumidores potenciais para o seu produto, mas seus hábitos e costumes fazem com que o produto não seja atrativo para eles. Como exemplo, Alexia citou os nórdicos, que odeiam newsletters. As taxas de desistência e cancelamento nesses países são mais altas do que as próprias taxas de cliques. Já no Brasil, newsletter é um dos principais canais de comunicação e transmissão de conteúdos.

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Início