Dados

5 situações que são muito mais fáceis de resolvermos utilizando dados

Nossa dica de hoje: acreditem nos dados, eles podem salvar. Não acredita? Vem ver!

Graças à tecnologia, podemos ver uma enorme mudança na maneira como os profissionais trabalham nos mais diversos setores da economia. A  internet, especificamente, pode ser considerada uma das maiores transformações nas indústrias nos últimos tempos – já que, por causa dela, muitas outras aconteceram e as marcas puderam se aproximar do consumidor de uma maneira que nunca conseguiram antes.

Mas, como nem tudo é perfeito, não podemos negar que essas mudanças também trouxeram vários obstáculos para os mais diversos mercados – inclusive o de marketing digital. Desafios que, até então, eram inexistentes, estão presentes hoje no dia a dia de qualquer empresa que necessite da internet para sobreviver – e, cá entre nós, é muito difícil encontrarmos uma marca que não invista no digital atualmente.

A vantagem é que temos um importante aliado ao nosso lado: o dado. Não é nenhuma surpresa o quanto ele é essencial quando falamos em alcance de audiência e comunicação segmentada. Mas ele pode ser aproveitado muito além disso… quer ver só? Carlos Durão, nosso gerente de business intelligence, listou cinco situações que podem acontecer em uma empresa e (com certeza) vão fazer você se identificar:

 

1. Conquistar clientes

Somos mais de 7 bilhões de pessoas no mundo. Já imaginou como seria chato se todos tivessem os mesmos gostos e necessidades? É justamente a pluralidade de ideias e opiniões que nos inseriu no cenário de marketing que temos hoje: com campanhas segmentadas por dados, estratégias para cada tipo de público e planejamento para alcançar as pessoas certas, no local certo e no momento certo.

Com a internet, o consumidor passou a ter uma praticidade muito maior, e por isso suas exigências também foram sendo moldadas – quem não se encanta ao saber que pode encontrar o que quiser apenas com alguns cliques online e sem precisar sair de casa? Além de aumentar nosso leque de produtos e serviços, faz com que a qualidade da marca seja cada vez mais levada em consideração. Sim, com certeza, hoje somos muito mais seletivos e “de quem” vamos comprar se tornou tão importante quanto “o que” vamos comprar.

O ambiente digital é extremamente competitivo, e as marcas precisam estar sempre se atualizando para que consigam ter um bom relacionamento com os usuários – e, principalmente, chamar a sua atenção. E é por isso que a coleta, a análise e o gerenciamento de dados são essenciais para que as empresas identifiquem os diferentes perfis de clientes e seus hábitos de consumo. A estratégia consegue ajustar tanto a logística quanto os produtos a serem ofertados por indicadores de demanda de vendas que possam vir através dos dados – e são eles que nos permitem conhecer tão bem o nosso público, possibilitando uma marca de fazer campanhas direcionadas para as pessoas certas.

 

2. Descobrir quais canais de comunicação vão trazer melhores resultados

Hoje temos infinitos canais de comunicação online. Existem muitas possibilidades de chegarmos até os clientes, mas isso não significa que precisamos investir em todas elas. Nem sempre queremos ser impactados por uma propaganda quando entramos em uma página da web, né? Por isso, as marcas precisam tomar muito cuidado para não acabarem veiculando anúncios considerados “irritantes” ou “inconvenientes” – e isso é uma etapa determinante na hora de definirmos como vamos impactar os usuários!

O importante é entender, a partir da análise de dados, quais canais são essenciais para uma campanha e quais não irão trazer os resultados que esperamos. Tentativa e erro é fundamental, já que provavelmente nunca vamos obter sucesso absoluto na primeira vez. Por isso, o profissional de marketing precisa saber identificar gaps e perdas de performance dos canais que estão sendo utilizados com o objetivo de, assim, conseguir trabalhar com maior velocidade – e qualidade, claro.

Quer um exemplo? Uma empresa pode acompanhar os fluxos de navegação do seu site e descobrir, por meio dos resultados apresentados, quais páginas ou quais partes do funil de conversão poderiam ser ajustados para uma melhor experiência dos consumidores. Às vezes, percebemos que estamos perdendo muito tempo com uma rede social ou um site que não nos traz tanta conversão assim… então porque não mudarmos esse investimento para outro canal que possa ser mais assertivo?

 

3. Pensar na estratégia que devemos seguir para uma campanha

A maioria das áreas vive na pressão e na correria o tempo todo, e nós sabemos disso… afinal, no marketing não é nada diferente. No entanto, precisamos ressaltar a importância da estratégia – e quando falamos em estratégia, não estamos falando apenas de um conjunto de táticas que não vão resolver o resultado final de maneira efetiva.

Ter uma visão data driven pode ajudar uma empresa a escolher os melhores canais e táticas de mídia para o seu negócio. O direcionamento de dados é sobre construção de ferramentas, habilidades e, mais crucialmente, uma cultura que age a partir dos dados – que devem ser relevantes para a campanha em questão.

A tarefa é difícil. Existem diversos fatores que podem influenciar os caminhos de uma estratégia, fazendo com que ela se torne mais demorada e cara. Mas o data driven surge como um processo estimulado por dados, e foca na decisão que é tomada por meio de evidências, e não de especulações. Ser conduzido por dados significa, portanto, que todas as decisões e processos de uma empresa serão ditados por eles – e nada é na base do achismo!

 

4. Descobrir se alcançamos o nosso objetivo

Graças aos dados, temos a possibilidade de focar muito mais em performance e análise de resultados, e como adoramos dar nomes para tudo, ele é conhecido como marketing de performance. Com ele, conseguimos medir o sucesso de uma campanha com muito mais precisão do que anos atrás, já que temos uma equipe especializada em analisar diversos fatores para que uma campanha seja cada vez melhor – como monitoramento das atividades digitais da empresa, análise do comportamento do usuário e avaliação das suas campanhas de mídia online.

Assim, podemos saber se uma campanha foi exibida para determinado usuário, se ele clicou no anúncio, se visitou o site, realizou uma compra, entre outras ações. Todas essas informações que são coletadas a partir de tecnologias, são utilizadas pelo profissional e esse consegue elaborar relatórios para avaliar os investimentos da empresa, os resultados nos canais utilizados e quais otimizações podem ser feitas.

O diferencial dessa estratégia é a possibilidade de medir e prever resultados. Ou seja, saber se aquele investimento vai gerar um bom retorno para a empresa, de maneira que atinja as pessoas certas e traga resultados à longo prazo. Além disso, é ele que consegue identificar anomalias nos seus dados, tanto para encontrar problemas (e solucioná-los), como para encontrar oportunidades que antes não estavam sendo vistas. Muito mais prático, né?

 

5. A luta contra a fraude digital

A fraude digital é uma das maiores inimigas do mundo online, e pode atingir usuários e empresas de diversas maneiras – desde o compartilhamento de links falsos que inserem vírus nos dispositivos das pessoas, até cadastros falsos com dados pessoais, transições bancárias e hackers que podem acessar todas as informações de um computador ou dispositivo móvel.

Esse não é um problema simples de ser resolvido, e como muitas pessoas acreditam, não acontece apenas em grandes empresas. Todos os dias, milhares de pessoas são prejudicadas pela fraude, que consegue lucrar milhões por ano. Os anúncios digitais, especificamente, também são vítimas do crime e vêm enfrentando o problema que pode impactar de diferentes formas – muitos sites, por exemplo, são criados com o objetivo de forjarem impressões e cliques em anúncios, fazendo com que o anunciante pague por interações que não são feitas por usuários reais.

Apesar disso, no entanto, existem algumas práticas que podem ajudar a evitar a fraude – e é aí que entram os dados! Uma vez que utilizamos os algoritmos corretos em uma estratégia antifraude, é possível prevermos e até mesmo sanar possíveis fraudes que possam ocorrer nos canais digitais – como, por exemplo, leads gerados por não-humanos. 

Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Início