Written by: Tecnologia

Inteligência artificial muito além dos bots

Tecnologias de IA estão sendo cada vez mais utilizadas por empresas de várias áreas. Confira quais são as tendências para os próximos anos

A inteligência artificial já fez uma enorme diferença em como as marcas interagem com os seus consumidores e como as estratégias de marketing são gerenciadas. Nos últimos anos, tivemos progressos bem significativos nas mais diversas indústrias – se não acredita, basta olhar ao redor e observar o crescimento de uso de IA no dia a dia, como o uso do prompt de resposta do Gmail, a Alexa instalada em objetos inteligentes pela casa, o uso de ferramentas que realizam tarefas como a transcrição de mensagens de voz, chamadas de voz automáticas para marcar compromissos e, claro, até mesmo carros autônomos que já estão andando em estradas.

Empresas como a Amazon, Apple, Facebook, Google, IBM e Microsoft estão investindo cada vez mais em pesquisas e desenvolvimento de IA, o que beneficiará tanto as marcas quanto os consumidores e todo o ecossistema de relacionamento entre os dois.

O futuro é bem otimista em relação às tecnologias. Uma pesquisa recente da PwC estima que a potencial contribuição de IA para a economia global até 2030 seja de US$ 15,7 trilhões, além de 26% de aumento no PIB para economias locais, aumentando a produtividade em diversas áreas.

A pesquisa também mostra que 45% do total de ganhos econômicos até 2030 virão de melhorias em produtos, estimulando a demanda do consumidor. Isso ocorre porque a IA proporcionará maior variedade de produtos, com maior personalização, atratividade e acessibilidade ao longo do tempo. Os maiores ganhos econômicos da IA serão na China (aumento de 26% do PIB em 2030) e na América do Norte (aumento de 14,5%), equivalente a um total de US$ 10,7 trilhões – representando quase 70% do impacto econômico global.

Sim, todas essas previsões estão sendo feitas para um futuro a longo prazo. No entanto, considerando que algumas das maiores entidades do mundo estão focadas no avanço da tecnologia IA, é certo também que em 2019 – e nos próximos anos– veremos avanços significativos na área.

Mas quais serão as maiores tendências de IA em um futuro próximo?

A tecnologia está prosperando e possui um enorme potencial para transformar negócios nos próximos anos. De acordo com a Adobe, a porcentagem de empresas controladas por IA aumentará de 15% em 2018 para mais de 31% em 2019. Essa rápida adoção da inteligência artificial, por sua vez, mostra a necessidade de um entendimento das tendências futuras para que as oportunidades sejam melhor aproveitadas.

De acordo com outro relatório da PWC em conjunto com a CBInsights, o financiamento para empresas de IA com base nos EUA ficou próximo de US$ 2,3 bilhões em 2018, e o gráfico abaixo mostra como o aumento no financiamento aconteceu nos últimos dois anos:

Fonte: PWC

Esse cenário todo só reforça que vamos presenciar uma trajetória de crescimento em 2019. Por isso, listamos algumas das prováveis tendências de IA:

1. Machine learning ganhando destaque

Acreditamos, por muitos anos, que os computadores possuíam um conjunto pré-determinado de funções e, ao contrário dos humanos, não poderiam aprender ou adquirir conhecimento. No entanto, com o machine learning, foram desenvolvidos mecanismos que permitem que as máquinas aprendam novas habilidades rapidamente, e elas já mostraram que têm a capacidade de ajudar os funcionários e otimizar o seu trabalho com automatizações.

Essa tecnologia é o futuro de todas as aplicações de software. Mais empresas utilizarão o machine learning, e mais empresas de software irão oferecer ela como um serviço. O machine learning irá aprimorar a personalização e ajudar a impulsionar o envolvimento do cliente – o AliExpress, por exemplo, recomenda produtos baseados nas escolhas dos clientes – ou seja, o algoritmo deduz o histórico de navegação e descobre interesses de potenciais compradores.

2. Chatbots se tornarão padrão

Os chatbots podem estar presentes em diversos tipos de aplicativos – desde os que lidam com consultas básicas de atendimento ao cliente até os que geram vendas. Os consumidores já se acostumaram com chatbots e se sentem à vontade para conversar com eles, graças à crescente popularidade de assistentes virtuais como a Siri e a Alexa. Além disso, esses bots estão se tornando tão sofisticados que podem ser difíceis de distinguir de um ser humano real. Na verdade, dois terços dos clientes afirmam que não sabem que já estão interagindo com ferramentas de inteligência artificial, de acordo com pesquisa realizada em 2017.

Muitas empresas diferentes estão dedicando tempo e recursos para desenvolver a tecnologia chatbot no momento, e assim continuaremos a ver os avanços em 2019 e além. Com o incremento da IA nos chatbots, não vai demorar para que os chatbots sejam um padrão e tomem conta da grande maioria dos sites e aplicativos.

3. Pesquisa por voz em ascensão

O reconhecimento de voz entende a fala e executa ações relevantes para o usuário, utilizando algoritmos através de modelagem linguística e acústica. Esse reconhecimento de fala transformará tudo ao redor, como refrigeradores, móveis, automóveis e muito mais. Um relatório da Forrester estima que mais de 20 milhões de alto-falantes inteligentes da Amazon tenham sido vendidos no último ano e, se você adicionar vendas de outros dispositivos inteligentes como o Google Home e o Apple Airpod, perceberá que dezenas de milhões de americanos estão se acostumando a interagir com a tecnologia por meio de comandos de voz.

De acordo com pesquisa da BrightLocal, quase 60% dos consumidores afirmaram terem usado a pesquisa por voz para encontrar informações em sites de busca em 2018, e quase metade deles usam a pesquisa por voz diariamente. Além disso, segundo a ComScore, as buscas por voz constituirão 50% de todas as pesquisas realizadas online até 2020. Isso mostra que a inteligência artificial apoiará o aumento de assistentes virtuais mais inteligentes e eficientes por meio do reconhecimento aprimorado de acento, controle de ruído e processamento de linguagem natural sofisticado.

Esse crescimento deve-se, em parte, aos enormes avanços que foram feitos na compreensão da fala humana com algoritmos de machine learning. A tecnologia avançou até o ponto em que os algoritmos do Google conseguem entender a fala humana com 95% de precisão – ou seja, o mesmo nível de um ser humano. Como a tecnologia está evoluindo, os seres humanos também estão mais confortáveis em utilizá-la. No mundo de hoje, onde todo mundo está conectado diariamente, ver pessoas falando consigo mesmas ou com um aparelho celular não é mais considerado algo estranho.

4. Mais dados e processamentos avançados de informações

Já estamos na era do big data, mas a sua evolução vai ser ainda maior. A quantidade de dados que coletamos está aumentando a uma taxa exponencial, já que a internet das coisas faz com que ainda mais dispositivos estejam conectados todos os dias. Como seres humanos são incapazes de processar rapidamente essas grandes quantidades de dados, os algoritmos de IA fazem esse trabalho. A tecnologia está começando a acompanhar o volume de dados coletados para que possamos utilizá-los da maneira mais adequada.

Um dos usos mais óbvios desses dados está na customização de criativos de marketing. Essa customização já acontece há alguns anos, mas as marcas ainda contam com os consumidores para oferecerem a maior parte dos dados que tornam ela possível. Estamos presenciando mais de uma mudança em direção à coleta de dados, e isso continuará acontecendo em 2019, já que também navegamos pelas questões legais de privacidade com as novas leis de dados como o GDPR e a LGPD.

As mídias sociais continuarão sendo uma parte importante da coleta de dados, e se tornarão ainda mais vitais para os profissionais de marketing em 2019, à medida que tecnologias emergentes como reconhecimento facial e segmentação avançada de clientes se tornem mais avançadas.

Sabemos que ter muitos dados é importante, sim. No entanto, ter tantas informações que não serão utilizadas e não segmentar quais desses dados realmente são necessários para o seu negócio, não tornará a estratégia mais assertiva – ou seja, quando falamos de big data, precisamos também falar sobre coleta, armazenamento e análise de dados, e por isso é tão importante que existam especialistas nesse processo.

5. A demanda por cientistas de dados irá superar a demanda por engenheiros

Segundo a IBM, a demanda por cientistas de dados chegará a 2,7 milhões até 2020. Por quê? Como empresas de todos os tamanhos se esforçam para coletar e analisar dados efetivamente, haverá inevitavelmente uma necessidade crescente de cientistas de dados talentosos capazes de lidar com grandes conjuntos de dados para ajudar plataformas de inteligência artificial.

6. Geração de linguagem natural se tornará popular, assim como produção de conteúdos com IA

A NPL (Processamento de Linguagem Natural, em português), é um método computacional impulsionado pela inteligência artificial que converte dados em uma narrativa escrita ou falada, e se tornará ainda mais comum em 2019. O processo começa selecionando um formato ou modelo, juntamente com fluxos de trabalho baseados em regras e intenções. Os dados inseridos no sistema se traduzem em uma narrativa significativa, orientada pelo modelo e pelas consultas escolhidas.

A tecnologia é capaz de identificar padrões, minerar dados numéricos e compartilhar informações de maneira mais fácil de entender para as pessoas. Ela tem grande potencial para agilizar consultas sensíveis ao tempo, como notícias de emergência – em 2014, quando um terremoto atingiu Los Angeles, a NPL publicou a história em menos de oito minutos – e vai brilhar da mesma forma em diferentes indústrias. Por exemplo, ajudando nas descrições de produtos no e-commerce, nas comunicações personalizadas com os clientes por meio de chatbots e e-mails, resumos financeiros para clientes individuais e análise de dados.

Veículos de comunicação como USA Today, CBS e Hearst já estão usando a tecnologia IA para gerar conteúdo. O Wibbitz, por exemplo, oferece uma plataforma de software como serviço (SaaS) que permite aos publishers transformarem conteúdo escrito em conteúdo de vídeo. Os publishers costumavam gastar horas – senão dias – criando conteúdos para seus sites ou mídias sociais. Ferramentas como essa, agora, estão ajudando os publishers a criarem vídeos atraentes em minutos. Em 2019, os leitores podem esperar que mais empresas de mídia adotem tecnologias de linguagem natural e de geração de vídeo.

7. Reconhecimento de imagem vai ficar maior e melhor

Realidade virtual e realidade aumentada existem há algum tempo, mas ainda são vistas como novidade. Embora a AR seja agora comum em jogos como o Pokemón Go, e os headsets de jogos de VR tenham se tornado mais conhecidos nos últimos anos, essas tecnologias ainda são raras em aplicações práticas para outras áreas além do entretenimento.

Tudo isso mudará nos próximos anos, pois a IA vai ser inserida nessas tecnologias e à medida que mais empresas começarem a  perceber como elas podem se tornar uma parte importante de suas estratégias de marketing. O reconhecimento de imagem por IA, é um exemplo que pode ser implementado nas realidades artificiais e virtuais, permitindo que o software identifique locais, textos, ações, objetos e pessoas em imagens.

Os computadores utilizam tecnologias de visão de máquina, software de inteligência artificial e câmeras para diagnosticar imagens. A tecnologia irá proporcionar mudanças enormes para os próximos anos, já que o reconhecimento de imagem também oferece dados relevantes.

Facebook está usando suas hashtags do instagram para ensinar seu reconhecimento de imagem de IA. Fonte: Digital Agency Network

Imagine olhar para uma foto fascinante de uma vista de tirar o fôlego no Instagram e saber imediatamente sua localização, as despesas de viagem, qual é a melhor época para visitar, amigos que estiveram lá e muito mais. A inteligência artificial permitirá a condução autônoma por meio de reconhecimento de imagens, e poderá identificar e reconhecer objetos nas estradas, como veículos, objetos em movimento, pedestres e vias.

Além disso, a tecnologia também promete ser o futuro do setor de saúde. Imagens constituem mais de 90% dos dados médicos, como raios-x, ultrassonografias, mamografias, ressonância magnética, entre outros exames. Por isso, a tecnologia ajudará no diagnóstico e na identificação precoce e tratamento de doenças, além do algoritmo aprender características relevantes para os distúrbios através de imagens médicas.

8. Impulsionamento da segurança cibernética

Os cibercriminosos se tornaram mais fortes ao longo dos anos. Eles segmentam estrategicamente indivíduos para invadir dados, sistemas e sabem aguardar o momento certo para agir, direcionando programas da nuvem para excluir dados, entre outros crimes. A inteligência artificial, por sua vez, vai trazer maiores dificuldades para esses tipos de fraudes em 2019 através de avanços de suas tecnologias – como machine learning, por exemplo.

Os algoritmos da IA reconhecerão padrões incomuns de atividades mais rapidamente do que nunca. A tecnologia estabelece padrões de atividade regular e se move para identificar ações que são diferentes dos critérios estabelecidos – ou seja, eliminam a necessidade de supervisionar os sistemas para detectar violações, além de oferecer monitoramento supervisionado de malware e identificar se os novos códigos são seguros ou não.

Ao infinito e além!

Todas essas tendências são apenas amostras do que os próximos anos têm a oferecer. E, se uma coisa é certa, é que definitivamente iremos presenciar momentos empolgantes de evolução da tecnologia pela frente.

Nesta indústria acelerada, é importante manter-se atualizado em relação às últimas tendências. Quando se trata de marketing digital, aqueles que adotam novas tecnologias e identificam oportunidades no início tendem a ser os que obtêm os maiores benefícios mais tarde. Por isso estamos sempre atentos para continuar trazendo tendências e oportunidades.

(Visited 26 times, 1 visits today)